15 outubro, 2011

Incenso você

Austero destino que nos condena ao acaso
E se ele me aparece agora é nele que acredito

Minha carne treme
Agita feito água caída em cachoeira gelada
Grita rasgada pelas brechas da alegria
Deslembra o lamento das paredes antigas
Em você me abrigo e outra vez aconteço

Sua carne treme
É asa que entoa um curioso apelo
Um cheiro que derrama escondido no bojo da graça
O corpo atravessado de sorrisos inteiros
Nos lábios enternecidos que sua alma navega

Nos cantos incertos de cada passeio
Escrevo coisas cruas sobre nossos caminhos
Permaneço verão nos lírios da sua presença
E para cada encontro para sempre fico

É morena
Em par sou com você
Dois como dois destinos
Acontecendo entre

               Aquela sensação aberta              
De uma mulher dentro de um homem
Engarrafando origamis e encantos
Errando na liberdade e acertando na poesia

Ela disse que é
Ela quer estar
Ela quer viver
Ela disse sim

    Esses ares incensam infinita noite
Afez-se com os caprichos inventados a cada instante
Deitou-se com os gestos curvados para dentro
Num sabor único do teu beijo que me empossa um gosto escorregadio

Por Bibi Serafim


5 comentários:

Eloisa Pedroni ∞ disse...

Me comoves...

Fernando Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Martins disse...

Oi Gabriel. Gostei dos seus poemas. Dá para sentir emoção nas palavras. Sério mesmo! Parabéns!
Fique a vontade para visitar meu Blog, tem poesias minhas lá tbm.

Abraço!

http://amandopalavras.blogspot.com

Bibi disse...

Olá pessoas, tudo bem?
como é de perceber... demoro a responder pq não sei bem como responder comentarios bonitos uahuah.... enfim, muito obrigado e pode deixar que vou visitar as paginas de vcs... beijos beijos ;>

Isabella Ballego disse...

Lindo, gostei muito