21 março, 2010

Encanto maior

Se queimar é não temer vida
Tomo-me de fogo todos os dias
E se todos que amaram, um dia sofreram
Prefiro a dor, ao medo
Prefiro me entorpecer da boemia, alegria, amigos e amantes
À sólida desventura da solidão,
Aquela caretice dos não aventurados.



Ser vento,
Celebrando os desvirgens
Sendo aquém daqueles homens seguros
Sou aquele que se joga,
Ao Intuito do peito, mesmo que em pranto
Apronto.



A cara espalmada de tanta saudade
É mais limpa que teu rosto todo maquiado de falsos sorrisos
E meus suados cabelos de malandro seresteiro
Que de dentro de si
Sai,
São mais perfumados que tua doçura imprópria,
Encarcerada.


Vou-me por escolhas
Não querendo traçar infinitos planos inexistentes
Esperando a vida acontecer,
E por aí planejar as mais belas artes


E mesmo que haja sofrer
Anseio por amar
Quantas vezes eu desejar,
Querer.


Por Bibi Serafim

2 comentários:

Diógenes disse...

é isso cara, é isso... e é assim que sinto o malandro que há aí, em você...

Gabriel " Bibi" disse...

isso me encanta ovin