02 fevereiro, 2015

chuvinha sapeca
janela aberta
cabeça de vento
poemas molhados

Nenhum comentário: