27 fevereiro, 2011

Feitio da paixão

Coração embriagado
Coração que eu não comando
Se sabias que meus olhos iriam arder em amargor
Como não avisaste minha razão, chamasse infame e inocente este furacão que sou

Mas como entender de sentimentos
Eu a desejo como homem
Quero fincar como cruz 
Beijá-la como brasa
Ouvir desta cabeça apenas pelas entranhas que serve ao coração.

Por Bibi Serafim

Nenhum comentário: