31 maio, 2010

Corra e olhe o céu

Alguns nascem para viajar em seus destinos inventados
A vida com seus modos estranhos de realizar as coisas
A razão sempre tão desencontrada em meu coração
Curva às cicatrizes do acaso.

"Livre, livre é quem não tem rumo."

Sereno e cortante como a sinceridade de uma criança
Entrego-me avesso aos receios
Corro descontente pela rotina
Além dos esconderijos da retina
Imagino outra estação.



Por Bibi Serafim

2 comentários:

Gabriela Maria disse...

não ter rumo, rumo ao mundo, rumo ao outro. só o outro nos liberta. adorei o novo visual do blog, bibi. beijo.

Mariana Bizinotto disse...

Olá, tem um selo blog para lhe entregar neste link no meu blog.
http://poesiamarianabizinotto.blogspot.com/2010/06/goiabada-com-tijolo-concedeu-o-selo.html
Abraço,
Mariana Bizinotto