12 abril, 2010

Outono em mim

Nem tigresa nem mariposa
Seus pêlos negros não repousam mais os meus dias
Estou novo em bossa romântica
De outra.


Tanta verdade e voracidade que reconheço,
Nego teu sorriso como negaste meus olhares.


Exatamente como antes,
Bem antes de sua presença me provocar intensa falta
Consigo dormir esquecendo-te.


Desejo sentir sua pele corrosiva
Questionar-me aos prantos de quem
Somente consegue dar o valor quando
Estou entrelaçado a outras mãos
Outros lares.


Sinta,
Vou ser motivo para falta do teu sono
Ser aquele que arranca noites e noites
Seu fato eterno e intenso,
Sem minha companhia.


Quero,
Ser ausência em seu dia
E presença em suas lembranças
Vingar cada resto da sua desimportância
Comigo.

Por Bibi Serafim